BOM PASSEIO, FILHO!

Passado o primeiro bimestre, as reuniões pedagógicas e a fase de adaptação dos que mudaram de escola  começam os passeios escolares. Aqui em casa cada passeio de João Miguel é motivo de Chacota minha com o pai e aqui faço um parênteses e falo baixinho só pra vocês ouvirem: A mãe dele não deixava ele ir para os passeios na escola…nunca deixou…só o do terceiro ano do ensino médio. Triste isso né?! (rsrsrs).

Pois então, por motivos óbvios, João Miguel, do auge dos seus 5 anos, já participou de mais passeios escolares que o papai. A escola de João segue uma linha sócio-construtivista (depois farei um post sobre essas metodologias escolares pra vocês) e os passeios de campo, neste tipo de metodologia, é muito, muito mais que só um passeio. Ela é importante para a formação integral dos estudantes, além de obviamente ampliar a visão de mundo e oferecer oportunidades de acrescentar bagagem ao conhecimento. Muitas vezes é a aplicação de conceitos teóricos vistos na sala e como um gatilho motivador: eles podem já ter visto o assunto, discutido, conversado bastante e, ao serem confrontados com a prática, se motivam a aprenderem mais sobre o assunto. São despertados para isso.

Já deu pra perceber que eu AMO passeios escolares (fui pra todos quando era criança e confesso que aprendi muito com eles).

Entretanto, apesar de eu ser uma “mãe liberal” para passeios, alguns cuidados são sempre muito bem vindos. Já dizia minha vózinha:

“Por falta de um grito vai-se embora uma boiada.”

A primeira coisa que é indicada é colocar uma identificação pessoal na criança ( no bolso, na mochila do passeio, pregado na roupa). Nada demais: (nome e contato em caso de emergência). A segunda coisa é que a escola precisa respeitar a proporção de passeio seguro entre monitores X crianças. A proporção indicada por especialistas é 1 monitor para cada 3 crianças e, acredite, esta proporção não varia de acordo com a idade deles. Adolescentes seguirão a mesma proporção. A terceira, e óbvia, é que o transporte utilizado no passeio precisa ser seguro, oferecer cinto de segurança, janelas travadas, etc.

Se o seu filho vai passar pelo primeiro passeio e você o deixou ir mas ainda está insegura, não deixe que ele perceba sua insegurança. Certifique-se de tudo que é necessário para que ele tenha um passeio tranquilo e, se estiver tudo ok, aceite isso como uma evolução de aprendizado.

Você vai ver como ele voltará do passeio empolgado. E depois desse, muitos outros virão.