A Escola Do Seu Filho É Segura?

Essa é uma dúvida constante para nós, pais de crianças pequenas. Eu sofro sempre que escuto um caso de maus-tratos, acidentes, afogamentos, crianças que fogem da escola sem que ninguém perceba (aqui no Recife aconteceu e só foram encontradas quase 2km depois) ou que são sequestradas da escola como o caso recente divulgado na TV . E ficamos sempre na dúvida esperança que “o nosso caso é diferente”.

Que tal fazer um teste rápido de 7 perguntas sobre a segurança na escola do seu filho disponibilizado pelo site Educar Para Crescer, do Grupo Abril? Basta clicar no link acima e descobrir se a do seu filho “passa no teste”.

Agora..se você  é do tipo que não tem “saco” pra responder as 7 perguntas, resumo pra você aqui o cerne da questão:

Incêndios

A escola do seu filho precisa ter equipamentos para prevenção de incêndios (extintores), treinamentos de funcionários e de alunos, e neste ponto eu posso afirmar: conheço quase nenhuma escola que faça o treinamento de evacuação do prédio com os alunos e, neste caso, de que adiantaria ter os professores treinados se o pânico seria geral?

Acidentes

Quando o assunto é prevenção de acidentes a coisa piora porque a indicação é que não hajam mais que 15 alunos por sala na educação infantil (eu conheço escolas com 25 alunos no infantil) acompanhados por uma professora e uma auxiliar.

Piso antiderrapante, pias, vaso e mesas apropriadas para a idade são essenciais nesta prevenção.

Janelas que permitam a entrada de luz e ventilação natural mas que sejam protegidas por grade ou por tela.

Nenhum produto de limpeza (ou tóxicos) perto de onde as crianças circulam.

Isolamento seguro da área da piscina.

Segurança

 

O acesso à escola deve ser restrito. Primeiro identificado na portaria, depois encaminhado à secretaria. O acesso às dependências onde os alunos estão só será liberado quando acompanhados de um profissional da escola.

As crianças só podem sair da escola acompanhadas de um adulto responsável por elas e, caso não sejam os pais, babás ou avós (que já foram previamente informadas como autorizadas a levá-los embora), a informação deverá ser dada por escrito na agenda que outra pessoa (e escrever o nome completo  e a relação de parentesco) irá buscá-la. Observar a reação da criança quando esta pessoa estranha chegar para buscá-la e, se notar algo estranho, ligar para os pais.

E aí, a do seu filho passou no teste?