Como Detectar Sinais do Autismo em Bebês

 

Todos sabemos que o diagnóstico precoce de qualquer doença ou distúrbio pode salvar muitas vidas. E, se não for o caso de salvar ou de conseguir alterar, pode ao menos preparar a família da melhor forma para conviver com o inevitável. A síndrome de Down, por exemplo, já tem a facilidade de ser diagnósticada na gravidez então, quando o bebê nasce, a família inteira já está informada sobre como será seu desenvolvimento. Esta facilidade, infelizmente, ainda não se aplica ao Autismo. Desde 2009 os cientistas tentam descobrir uma maneira de diagnósticar o autismo ainda dentro da barriga da mãe, mas nenhum método até então é seguro, como no caso da Síndrome de Down.

O Autismo é muito mais comum do que se pensa. 1 em cada 150 crianças são autistas. Dessas,  a média é de uma menina para cada 4 meninos. E no geral, metade das crianças autistas apresentam também um retardo mental. Na página do Dr. Dráuzio Varela  o autismo é apresentado resumidamente como um distúrbio cujas maiores demonstrações são” (…) dificuldade de comunicação, de estabelecer interações sociais e por comportamentos monótonos e repetitivos” .  A boa notícia é que apenas uma minoria dos portadores apresentam comprometimento intelectuais graves em alguns casos eles conseguem ser mais rápidos que computadores, são engenheiros maravilhosos pelas suas habilidades visuais e até ótimos professores. (veja caso real: Temple Grandim ou assista o filme baseado nela).

 

Day in the Life of an Autistic Child

No geral, os pais percebem que há “algo diferente” no desenvolvimento de seus filhos no período de 18 meses a 2 anos. Muito raramente é possível detectar antes de 1 ano. E pouco pais conseguem perceber algo estranho entre 12-18 meses. Aqui embaixo compilei as dicas de pesquisadores da Universidade de Miami, EUA que acreditamser possível perceber o autismo muito mais cedo do que temos feito hoje e que  isto é possível se comunicação não verbal for levada mais a sério  do que o modo como eles se relacionam (ou não se relacionam), efetivamente.

1- Olhares Perdidos – O vínculo materno é estreitado através da amamentação e é comum que o bebê seja apaixonado pela mãe, observando-a enquanto está mamando. No caso dos autistas, o bebê pode não reconhecer a figura materna enquanto está mamando e ter sempre um olhar distante.

2- Vai pra qualquer pessoa – É estranho uma criança entre 8 e 12 meses ir pra qualquer pessoa e ficar confortável lá. Nesse período eles estranham quem não é de seu convívio. Se ele vai pra qualquer pessoa, independente de ser mãe, avós ou estranhos, é bom ficar de olho em outros sintomas.

3- Comportamento – Esse todo mundo sabe que tem que ficar de olho mesmo. Aparente surdez, transtornos de linguagem e socialização, comportamento restrito e repetitivos são alguns deles.

Autism

4- Sentidos mais ou menos aguçados  que o normal – eles podem se recusar a comer um tipo de textura, por exemplo, purê. De vestir um tipo de roupa, por exemplo, mangas compridas ou, ainda, se irritam quando sentem um determinado cheiro. Podem também não se assustar com  sons altos. 

5- Não imita a ação de outros – Nas brincadeiras ele não imita se você mostrar como montar um bloquinho ou prefere sempre brincadeiras em que fique isolado e geralmente são de ações repetitivas.

para informações mais específicas de comportamento de um autista visite o site médico da UOL