Equidade de Gêneros Começa em Casa

Ainda me dói muito ouvir mães reproduzirem comportamentos machistas em casa. Eu que fui criado por um pai nordestino, militar e feminista (sei…sei…os adjetivos não se encaixam mas assim é o meu maravilhoso pai), não consigo admitir que ainda hoje mães reproduzam esse tipo de comportamento:

Menino pode usar rosa na sua casa? varre a casa? ajuda na cozinha? pode brincar de casinha?

Meninas ajudam a lavar o carro? a consertar um objeto quebrado? jogam bola? brincam de luta no video-game?

A depender das suas respostas você já sabe do que eu estou falando. Reclamamos de quão machistas são as atitudes no mundo e, especialmente, no nordeste. Como a mente masculina é machista e a de algumas mulheres mais machistas ainda. E eu pergunto a você que tem filhos? O que você está fazendo pra mudar essa mentalidade?

Segundo meu amigo dicionário Feminista é:

s.m. Doutrina cujos preceitos indicam e defendem a igualdade de direitos entre mulheres e homens.
Movimento que combate a desigualdade de direitos entre mulheres e homens. 
P.ext. Ideologia que defende a igualdade, em todos os aspectos (social, político, econômico), entre homens e mulheres.
(Etm. do francês: féminisme)

Igualdade. Algumas pessoas acham que ser feminista é querer direitos exclusivos. NÃO!!! PELO AMORRR!!! entenda de uma vez! Ser feminista é tratar os iguais em suas igualdades e os desiguais em suas desigualdades. Ninguém está pedindo para os meninos amamentarem, certo?! Mas por que eles não poderiam trocar fraldas? dar banho? fazer a papinha? levar pra passear? Por que é a mulher que tem que abdicar da carreira e ficar em casa para cuidar dos filhos? Quem impôs isso?

Ninguém está pedindo para as meninas levantarem um móvel pesado certo?! Mas por que elas não podem ser ensinadas a trocar um pneu? trocar uma lâmpada? entrar na escolinha de futebol?

Se o seu filho é ensinado que tanto ele quanto a irmã podem ir pra festa e chegar no mesmo horário ou que, depois do almoço, cada um terá seu dia de lavar os pratos ou varrer a casa, ele vai entender também que um pai precisa de uma licença-paternidade maior que 5 dias quando ele for chefe ( e pode oferecer um programa pioneiro na empresa que trabalha) ou que os dois têm a mesma capacidade de execução de tarefas então, não faz sentido, um ganhar mais do que o outro.

Acredite, esse é o tipo de ensinamento que eles não aprenderão através da escola mas através do seu exemplo em casa. Dê o exemplo. Na sua casa, com seu marido. Dividam as tarefas. Pare de utilizar esse papinho de “ele me ajuda”, “ele até que faz mas a responsabilidade é minha”. Eles absorvem isso pra vida. Tarefas domésticas existem para serem divididas entre a família, independente do gênero.

Sua filha quer entrar na aula de futebol e seu filho na de dança? qual o problema? Quem te disse que futebol é só pra meninos? e que dançar é coisa pra “mariquinha”? Quem não gosta de ter um amigo pé-de-valsa que as mulheres fazem fila pra dançar enquanto os homens ficam sentados só babando? Aos pais ainda machistas que não estão convencidos…dizem as minhas amigas solteiras que os homens que dançam são muito mais cobiçados.

Se você se pegou repetindo alguns desses comportamentos machistas, acredite, sempre há tempo para mudar. Comece controlando sua língua. Que tal parar de dizer que “menino não chora”? Ou que “meninas precisam ser princesinhas e se comportarem como tal?”  “lugar de mulher é na cozinha”? ” menino não brinca com boneca?”

CHEGA! Pare com isso! É pelo exemplo que eles vão aprender a respeitar o outro como igual. Não deixe seu filho xingar o coleguinha de “mulherzinha”. Ter um comportamento de “mulherzinha” não diminui ninguém. Aproveite o momento para ter uma boa conversa sobre respeito e tolerância.

Nunca se esqueça: A escola ensina, a família educa…para a vida!