MÃES DE PRIMEIRA VIAGEM (DE AVIÃO) E SEUS BEBÊS.

Semana passada encontrei uma mãezinha de primeira viagem (em todos os sentidos) e seu lindo e fofo pedrinho de 3 meses. La vínhamos nós duas de Salvador pra Recife…conversa vai…conversa vem. Chegou a hora de decolar. Eu entrei em desespero quando não vi qualquer preparação da mamãe considerando o processo de decolagem. Não quis me meter. Fiquei com remorso depois. O pobre Pedrinho chorou muito…muito mesmo. Depois de uma hora de voo e muita conversa pra tentar aliviar o meu próprio sofrimento, na descida , fui obrigada a sugerir algumas coisas pensando numa visão bem egoísta da minha consciência. Foi muito mais pra eu dormir tranquila que pelo Pedrinho, coitado. Dessa vez ele não chorou.

Pra que eu continue dormindo tranquila precisava dividir isso com vocês. Tomara nada disso seja novidade. Mas, se você tem um bebezinho e vai viajar seja pra aproveitar a licença-maternidade, seja porque são as férias do filho mais velho, aqui vai um resumo do que a pediatra do meu filho me ensinou na minha primeira viagem de avião, quando ele tinha 2 meses e precisou pegar 4 voos pra casa dos avós.

1- O ideal é que a viagem o ocorra depois de completar 2 meses. Até lá ele tomou muito poucas vacinas e ainda está muito vulnerável. Com 3 meses ele se torna muito mais ” portátil” do que parece.

2- Criança doente não viaja. Mesmo que seja uma ” gripezinha”. A imunidade dele já vai estar mais baixa e a secreção que poderia ser tratada de forma simples em casa pode se encaminhar para o ouvido e se desenvolver numa otite com muita dor e sofrimento pro pequeno. Mas se não tiver jeito, leve sua farmacinha e tente amenizar o desconforto ao máximo.

3- Leve na bolsa uma farmacinha: analgésico, antitérmico, soro pro nariz, remédio pra dor de ouvido. Se você não conhece nenhum, seu pediatra te indica.

4- Considerando os bebes que mamam, tudo é mais fácil. Peitão na decolagem, peitão na aterrissagem e tá tudo certo. De uma forma geral, o peitão alem de aliviar a pressão dos ouvidos, acalma e faz com que o bebê durma ( ao menos os meus eram assim). Se o seu, por motivos outros não mama. Prepare a mamadeira pra dar na subida, nem que seja só água. Mas lembre-se: as formulas devem ser feitas na hora de dar. Não faca antes porque ela pode estragar. Os pediatras dizem que um leite pronto só pode ser consumido em 20-30 minutos no máximo. Mesmo guardado em geladeira. Lembrando que com o leite materno todo esse tempo é diferente (mas isso é para um outro post).

5- Leve brinquedinhos: chocalhos, mordedores, coisas que ele conhece e já gosta de utilizar.

6- Se possível, vá em vôos noturnos ou no horário do soninho dele. Isso facilita muito a sua vida.

7- Troque a fralda antes de embarcar e logo quando descer. Evita assaduras. Mas se houver alguma outra necessidade, apesar de precisar gozar de um ótimo equilíbrio, os aviões têm mesinhas para troca de fralda dentro dos banheiros femininos geralmente traseiros (sei…sei…visão machista da coisa).

8- Leve roupas extras  se está frio, leve também alguma roupa mais leve. Pode ser que o ar-condicionado seja reduzido. Se está quente, leve também uma manta. Pode ser que esfrie e ele precisa se sentir confortável. 

9-  Se você é adepta do sling leve-o e utilize-o na viagem. Especialmente em viagens internacionais que são mais longas, você poderá acomodar o bebê grudadinho em você e, pelo costume, ele dormirá tranquilo e você não ficará com os braços doendo por ficar segurando-o. 

10- Tente ficar na primeira fileira por uma questão de espaço. Se não for possível porque outros preferenciais já chegaram primeiro, tente ir para uma fileira em que haja uma cadeira vazia ao seu lado. Às vezes é melhor estar mais atrás e com um espaço ao lado do que com mais espaço à frente e vários bebês chorões ao seu lado. Lembrando que choro de bebê é contagioso: Se um começa, provavelmente os outros também chorarão. 

11- Leve uma mochila. Já viajei com as bolsas lindas de viagem para bebê e posso lhes garantir: uma mochila é maravilhoso. Especialmente se você vai precisar se deslocar dentro do aeroporto com duas crianças para pegar um outro voo ou vai esperar um longo tempo de conexão.  Com a mochila você fica com as duas mãos livres e o peso é igualmente distribuído entre os dois ombros o que não acontece com as bolsas para bebê e suas alças-tiracolo. 

12- As companhias aéreas oferecem bercinhos para os bebês que estão na primeira fileira. Veja a possibilidade de ter um desses à sua disposição em uma viagem longa se você não usa Sling (eu ainda prefiro o sling). 

13- Por fim, mas deveria ser o meu primeiro conselho: NÃO SE ESTRESSE!!!! É difícil mesmo mas as férias compensam. Milhares de pessoas passam por esse estresse todos os dias e, acreditem, eles sobrevivem. Você também irá. 

No mais, BOA SORTE! Você definitivamente irá precisar. 

20131211-211737.jpg